domingo, 9 de outubro de 2016

sobre mãos, pedras, risos e monstros

o caminhar que começa
de olhos abertos, atento, hesitante,
vendo cada pedra no caminho e tirando-as
com calma nem que seja
momentaneamente sabendo que
a seguir
elas voltam rolando sozinhas
mais a frente, ali onde
não se enxerga tão
bem assim

o caminhar segue e
de repente tua mão tá sem forças de
tirar tanta pedra do caminho assim e tu
não consegue nem dobrar dedos em torno
delas, as pedras, e se, olha bem,
se olha bem:
parece que as pedras estão rindo, sim,
elas já sabiam que isso ia acontecer

no último momento do caminhar
um branco leitoso tomou tua visão
e você sai tropeçando e caindo
a esmo
e você não pode parar porque atrás de você
vem um monstro pronto pra te devorar

Nenhum comentário: