quinta-feira, 6 de outubro de 2016

sei não

entrega
na minha mão da têmpora
uma coisa-polvo
uma coisa-rede
uma coisa-teia
que se apega e se gruda
e quando mexo a cabeça pro lado...

vem mais um ban'di'coisa à rebote
e vez'in'quando tudo cai
e noutra'zora as coisa flutua

disseram-me
que eu 'güento
mas sei não, num
sei não

Nenhum comentário: