terça-feira, 16 de agosto de 2016

indeterminação é uma lei

eu faço vinte e oito amanhã. eu ando muito pouco convicto do que tô fazendo na vida. eu meio que arrasto as coisas com a barriga. e eu consigo encontrar mais felicidade do que incômodo no cotidiano, via de regra, mesmo que dependa um pouco do dia. "get real get right" do sufjan stevens me ajuda particularmente hoje de forma especial. eu sou um rapaz de fugas. por preguiça, por medo, por desinteresse. eu sou um grande covarde, e isso me faz estar vivo. e eu sou um grande inconsequente, estão reconhecer que estou vivo é também uma sorte ou uma bênção. e eu já quis morrer um bocado, ocasionalmente ainda quero. eu amo pessoas, vezenquando, voltaemeia, e são várias. cada uma que me complementa, que me faz rir, que me traz coisas boas. e aquelas outras que fazem doer também, e a gente ama ainda assim. é aquela coisa, a vida, fazer doer, e amar ainda assim. vida, amodeio, odeiamo. vinteoito, venha aí. às vezes amanhã vou fazer um daqueles posts reflexivos. às vezes não. indeterminação é uma lei.

2 comentários:

cazarim de beauvoir disse...

um post sobre a fuga no dia em que a elke nos deixa me faz pensar que a arte de fugir e escapar do que quer nos capturar continua viva em nós. que bom que é possível seguir fugindo. fugir faz bem. 28 anos de fugas novas e melhores pra você. (en retard.)

beto,,, disse...

muito obrigado, querido. tanto pela perspectiva que me oferece, quanto pelo que deseja para mim. :)
grata surpresa o seu comentário.