segunda-feira, 4 de julho de 2016

o branco para kandinsky

O branco
"(...) é o símbolo de um mundo no qual desapareceram todas as cores enquanto qualidades e substâncias materiais. Esse mundo está tão acima de nós que nenhum de seus sons no alcança. Somos envolveidos num grande silêncio que, representado materialmente, parece um muro frio intransponível, indestrutível e infinito. Por isso o branco atua sobre nossa alma como um grande silêncio absoluto. Interiormente soa como uma "não-sonoridade", que pode ser equiparado a determinadas pausas musicais que interrompem temporariamente o curso de uma frase ou de um conteúdo sem constituir o término definitivo de um processo. É um silêncio que não está morto, mas, ao contrário, pleno de possibilidades. O branco soa como um silêncio que imediatamente pode ser compreendido.

É um "nada" juvenil ou, em outros termos, o "nada" anterior ao começo, ao nascimento. Talvez a terra tenha ressoado assim durante os tempos brancos da era glacial."

Do espiritual na arte, de Kandinsky.
via: Dorothea Passetti em Lévi-Strauss, Antropologia e Arte

Nenhum comentário: