sexta-feira, 7 de agosto de 2015

retirado do vídeo Ecos do Silêncio,

Cotidiano
Todo dia
Mesma hora
Mesmo tabi

O corpo varia
O clima varia
Ouvir o tempo interno

Abrir espaço
Dentro
Fora
Sem fronteira

Menina
Moça
Mulher

Minha menina

A menina que habita em mim
A arte mora na coluna
Na respiração
No espaço entre as vértebras
No ar entre os corpos

Estado de criação
Cortando cenoura
Medula
Limpando o tatame
Lombar

No palco
Na cena
No jardim

Mesmo que eu viva cem anos, um instante

Cotidiano. O que não é?

Criar luzes
Vagalumes
Na deslumbrante treva me alumiam

Palco de teatro nô a céu aberto
Terra batida
Carregar terra
Molhar terra

Criar os filhos
Criar história
Contar histórias
Criar corpos

in: http://oolhodahistoria.org/n14/artigos/ana.pdf pg 9

Nenhum comentário: