quarta-feira, 10 de junho de 2015

testemunha

mão suja de barro
do fazer das horas
amareladas

e sopro
o vidro
pra dar forma
com fome

enfio minhas mãos
num foguete com
fogos de artifício
depois de cortá-las fora

não,
não,
não não não,
não me pergunte como o fiz

só lhe conto que o fiz
pois você sabe guardar segredos

Nenhum comentário: