quarta-feira, 3 de junho de 2015

metade de meu corpo

metade de meu corpo
enterrado
na areia da praia
enquanto olho placidamente a linha do horizonte

o sol incomoda
que não me digam agora que ele é vida
que não me digam coisa alguma

quando vem a onda
eu quase afogo
eu prendo o ar
eu grito dentro de mim

meu cabelo, algas
algas nos meus

quem foi que decidiu
que era uma cena bonita
que eu ficasse ali
com metade do corpo
enterrado na areia
da praia?

o que se faz pela beleza...
o que não se faz.

Nenhum comentário: