segunda-feira, 1 de junho de 2015

fazer sumir


uma formiga caminha e carrega
folha seca em suas costas, eu não vou

te perguntar sobre ela, te
dirigir mais o olhar, e se aos poucos
você sumir como as letras
daqueles papéis
que saem dos caixas eletrônicos
eu vou enfim sorrir, ela escreveu


exatamente pela metade,
só que ninguém percebeu
ela escrevendo na terra,
graveto na mão,
encurvada ela parecia uma moita, estava

escuro

e ela passou a mão
na terra depois que deixou suas marcas
que ainda fossem no código
da língua da língua aquela
que só sabem os querentes, ainda que,
ela preferiu
fazer
sumir, espalhando terra, pensou,

quão fácil é fazer sumir assim.
se fazer sumir fosse tão sempre fácil assim.

Nenhum comentário: