quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

de como audre lorde não podia escrever em prosa

"Em uma entrevista com Adrienne Rich [3], Lorde confessará que até a publicação de “Poetry Is Not a Luxury” (“Poesia não é um luxo”, sem tradução em português), um dos seus textos mais belos, de 1977, não havia conseguido escrever em prosa. “Não podia. Comunicar pensamentos profundos em blocos lineares, sólidos, era superior a mim. Via o pensamento como um processo misterioso, do qual desconfiava. Eu tinha visto muitos erros serem cometidos em seu nome e cheguei a decidir não respeitá-lo. Além disso, me dava medo, porque eu tinha chegado a conclusões sobre a minha vida e os meus sentimentos que desafiavam a razão. Não queria perdê-las, porque eram inquestionáveis e demasiado preciosas pra mim, eram minha vida. Porém, tampouco podia analisá-las, porque não produziam o tipo de sentido que me ensinaram a esperar dos processos de entendimento. Eram coisas que eu sabia, mas que não podia nomear”."

fonte: http://blogueirasfeministas.com/2014/08/a-irma-outsider-audre-lorde/

Nenhum comentário: