sexta-feira, 7 de novembro de 2014

o riso

entornou o copo
e rogou uma praga à lua

disse que à noite, ao dormir,
as sereias sempre cantam
mas não de dia
e assim é melhor inverter as coisas,

disse também que cada volta
em volta da praça
é uma volta ao mundo

e riu longamente
roendo o riso

disse que as pessoas são ocas,
os messias, mortos,
e o mundo está dormindo

e me sacudiu, e disse
acorda, mundo!,

e riu longamente
rendando o riso

disse que não estava tonta
e que tudo tinha mais cor
e as verdades de copos sujos
eram as mais sinceras

e riu longamente
rasgando o riso

Um comentário:

Luiza disse...

muito bonito; apesar dos apertos! que só a ansiedade de um copo sujo traz à tona