quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

De Lírios

Talvez
antes de tudo
eu tenha sido
massa de modelar.

Talvez
boneca de pano
de retalhos e espumefeita

espumante, Talvez marinha,
Afrodite, marginal,
sentada na beira do rio

colhi de lírios
para fazer,

Para Orlando, guirlandas,
Para Judite, palpites.
Para Hamurabi, lamentos,

unguentos, pobres
vocês, tão doentes,
Corto uma de minhas sete
cabeças
para beijá-la em cabeças outras.

(Modelo, de avião, de montar,
juntei, todas, as peças,
fora, de lugar)

E pra vós!,
Desfio
setenta vezes sete
Desafios,
bem sei que.

Meu cérebro
deve ter
algum
desalinho,

óleo gasto,
parafuso solto,
sutura frouxa, meu cérebro,

Meu cérebro
tem alguma
alquimia torta.
Mas ela é minha.
Só minha.

Nenhum comentário: