quinta-feira, 12 de maio de 2011

de escrituras em encarnações

eu ainda não fiz poesia com você. como que colocando você no meio das coisas do mundo que sou esse eu que não sou eu, mas só fluxos que se ligam a outros fluxos. um mundo de fluxos bizarrão. é que eu não tenho muito a dizer sobre. de repente a planta brotou no meio do asfalto gritando a dor de um desconhecido. e eu vivo essa coisa de um arco-íris com menos cores que as sete e suas misturebas. vai pra um lance como desorientação & cansaço & sacanagem. prum que-seja. que por ser tão novo, tão alguma coisa sei lá, um que-seja bacana demais. demais.

Nenhum comentário: