sábado, 9 de abril de 2011

lost in translation

depois de uma noite louca de balada e um começo louco de manhã em casa, acabei por acordar aproximadamente às 17horas e emendei num almoço gostoso e pesado. fiquei me sentindo um elefante prestes a desmaiar, mas detalhe. risos. aí que agorinha comi temakis e fiquei pensando naquela história do: ah, eu acordo, daí eu como muito, daí eu durmo de novo, aí eu ri de novo, risos, muitos risos.

bom, tava passando O Diabo Veste Prada que me passa uma ligeira sensação de clássico da década 00. por vários motivos. mas um clássico num nível mais banal, claro. nada como, por exemplo, Lost In Translation, que assisti logo depois.

sou louco por Lost In Translation. gosto demais das habilidades de direção de milady Coppola, das atuações e logo caracterizações dos personagens de Johansson e Murray, do fato de se passar em outro país, e tratando dos problemas de tradução, comunicação, entendimento.

não se entende bem o próximo, não se entende bem a si mesmo, e ainda assim se tenta. em diazinhos quase banais, em festinhas, que seja, vendo um filme, bebendo drinques, num banho de banheira, ouvindo uma fita de auto-ajuda.

o filme me toca dum jeito de mexer dentro. gosto tanto da sensação. terminei querendo viver. gosto tanto dessa sensação.

além do que voltar ao brasil tá sendo deveras estranho. deveras muito. em tantos sentidos. bom em muitos, ruim em muitos. é isso aí...

Nenhum comentário: