sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Em estudo sobre os índios da Amazônia, Eduardo Viveiros de Castro (2006) analisa como o corpo humano recebe sua forma pelo olhar do outro, ou seja, depende da perspectiva de uma testemunha.

in: http://www.poiesis.uff.br/PDF/poiesis21-22/dossie1-01-vmatesco.pdf

terça-feira, 16 de agosto de 2016

grato grato grato

vinteoitanos beirando a esquina e eu só consigo pensar em como sou grato pela vida que tenho e todo o amor que recebo.

indeterminação é uma lei

eu faço vinte e oito amanhã. eu ando muito pouco convicto do que tô fazendo na vida. eu meio que arrasto as coisas com a barriga. e eu consigo encontrar mais felicidade do que incômodo no cotidiano, via de regra, mesmo que dependa um pouco do dia. "get real get right" do sufjan stevens me ajuda particularmente hoje de forma especial. eu sou um rapaz de fugas. por preguiça, por medo, por desinteresse. eu sou um grande covarde, e isso me faz estar vivo. e eu sou um grande inconsequente, estão reconhecer que estou vivo é também uma sorte ou uma bênção. e eu já quis morrer um bocado, ocasionalmente ainda quero. eu amo pessoas, vezenquando, voltaemeia, e são várias. cada uma que me complementa, que me faz rir, que me traz coisas boas. e aquelas outras que fazem doer também, e a gente ama ainda assim. é aquela coisa, a vida, fazer doer, e amar ainda assim. vida, amodeio, odeiamo. vinteoito, venha aí. às vezes amanhã vou fazer um daqueles posts reflexivos. às vezes não. indeterminação é uma lei.

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

quisera ter levado pessoa para passeio em joão pessoa

Estar em uma cidade que você não conhece é um tanto como se sentir como um - um estrangeiro, logo um estranho, um anjo, um mensageiro. Estranho aos prédios todos de lá. Anjo pois meus sentidos são outros, bem como minha voz. E logo mensageiro. Parece que acontece: cantigas dentro, descobrir linguagens línguas tatuagens, mares, mergulho em um, derramar-se, 
                                                                                                                   sensações, mundos devaneios. Jogos que acontecem. Deparar-se com um temor, vê-lo a sua frente. Opa, é assim que começa um capotamento. Hetero-descontruído-que-beija-rapazes,  nome do auxiliar do sherlock, nome do herói grego, nome do meu colega do mestrado, nomes, pra que tantos, cachaça que se faz presente, eu mergulhei sim. Mermão, aqui é sereia. Certamente. Táxis caros. Busões demorados. Descer no ponto errado. Papos, possibilidades, desejos, interesses, completar palavras mentalmente, adivinhar signo e depois data de aniversário, as coisas que não são ditas, as pessoas que acontecem se pá que nem cometas, e a beleza de qualquer cometa, desejo, deliro, suspiro, atiro, giro giro, beijo beijo,

terça-feira, 9 de agosto de 2016

descabendo de si

ouvindo time to pretend do mgmt e com várias vontades de gritar bem alto e enlouquecer via baladas por meio delas e por ruas e coisas e pessoas e aconteceres

sábado, 30 de julho de 2016

qual seria assim meu nome?

eu ando nas ruas de pedra, evito
jogar bitucas no chão, rastros se perseguirem
alcancem sim, minhas sombras, jogo de luzes, algo
confuso, algo confuso o jogo de luzes algo confundo com
coisa alguma, coisa fusa dá linhas e os cortes
chegam
cortes
chegam
cortes
chegam
eu quero alvorecer a cidade inteira luzes confusas
linhas de luz lilás carmim claridades
qual seria
assim
meu nome? e se descobrirem, assim,
eu perco meus poderes?

sexta-feira, 29 de julho de 2016

asmat of new guinea feat salomé feat judite

a cabeça no prato
como uma maçã, aberta,

um cristo
que tivesse sua cabeça entregue
à dama de vermelho, de verde,
de dourado, de cetim transparente,
venus in furs, em imagem preto e branco,
de véu e gótica, ora absorvente
noutra oblíqua,
com violência, panos vermelhos ao fundo,
sedutora,
pensativa,
dedicada,

e seria esse seu sacrifício pela humanidade

cante cante cante cante

e a passagem
do invento ao aumento ao unguento, desentardeceres
enquanto sonhas, quaisquer coisas de rubro e carmim,
turquesa, opalina, ametista, marfim,
turner é tornar, regresso, demônios anoitecem e cantam
dos segredos das terras de trás dos montes, os rumos dos
casebres são esparsos e tortuosos, sinete
ao fundo, possíveis fecundo
acontece conto e cante
cante cante cante cante